24 de novembro de 2013

 
"Em qualquer recanto, num café, entre quatro paredes que não importam, porque, por mais denegridas que sejam, a nossa alma tem o poder extraordinário de tudo transformar, (...), repartindo sonho às mãos-cheias."

 

Raul Brandão, 'A Morte do Palhaço e o Mistério da Árvore'