14 de março de 2013

Divulgando a poesia!


 
Mil caras
me olham
e me buscam
no vazio.
Mil caras
se olham no cio de
um espaço sem nada
O trem
espaventado
se esperneia
em pés hipertensos
ou nos socos
na porta
ou na periferia do amor
embaixo de tudo
que resta
pra se divertir
um pouco
no tempo
que se talha
o caminho
do subúrbio do Rio
à Central,
em meio aos
gritos ambulantes...

 
Carlos Dei