20 de fevereiro de 2015

 
Um girassol acende a noite. É uma escuridão fria agasalhada por uma flor. Essa coisa de anoitecer virou abrigo de pensamentos. Uma gaveta para as sensações que só se desnudam durante o sono silencioso das estrelas. Ainda com olhos bem abertos e à espera da dormência das pálpebras, tua lembrança gruda em mim pétala por pétala enfeitando os poros. 


Marla de Queiroz.