19 de setembro de 2014



"na saliva
no papel
no eclipse
em todas as linhas
em todas as cores
em todos os jarros
em meu peito
fora. dentro.
no tinteiro − nas dificuldades de escrever
no assombro de meus olhos. nas últimas
linhas do Sol (o Sol não tem nenhuma linha) em
tudo. dizer “em tudo” é idiota e magnífico
DIEGO em minha urina DIEGO em minha boca − em meu
coração e minha loucura. em meu sono − no
papel mata-borrão – na ponta da caneta
nos lápis − nas paisagens − na
comida − no metal − na imaginação.
nas doenças – nas vitrines −
em suas lapelas − em seus olhos − em sua boca.
em sua mentira"


Frida Kahlo