26 de julho de 2014

 
" Que temos em comum com o botão de rosa, que estremece ao sentir sobre o corpo uma gota de orvalho?
É verdade: amamos a vida, porque estamos acostumados não à vida, mas a amar.
Há sempre alguma loucura no amor. Mas há sempre, também, alguma razão na loucura. " 


Friedrich Nietzsche, Assim Falou Zaratustra