5 de dezembro de 2013

 
Detém-te, escuta como as aves entram na pedra sob a forma de um sol, a
tranquilidade
inviolada do coração, a árvore branca e o pássaro azul
mergulham na água frágil da inocência, inclinam
as sombras esplêndidas para o diamante do dia - eleva-se sobre a
colina

o perfil da manhã, pequenos bagos de chuva luminosa desprendem-se
da planície, alguém
colhe da noite as rodas magnificas do espírito, escuta, apesar das terríveis
promessas de devastação.

 

Amadeu Baptista, 'O Sossego da Luz'