5 de novembro de 2013

 
"Segundo o taoísmo, a vida é assim:
somos pequenos barcos de velas brancas no mar desconhecido.
Os remos são inúteis. A força dos elementos é maior que a nossa força.
Gosto de ver os urubus voando nos prenúncios de tempestade. Eles não batem asas. Não lutam contra o vento. Flutuam, deixam-se levar...
A sabedoria dos barcos a vela é a mesma sabedoria dos urubus.
Brincar com vento e onda, vela e leme, e deixar-se ser levado.
A sabedoria suprema não é fazer remar,mas fazer nada, deixar-se levar pelo mar da vida que é mais forte."

 

Rubem Alves