27 de março de 2013

Foto: “Mas a infância, ó poetas, não é mesmo azul?
Quanto a mim, eu venho há muito desconfiando de que a infância é uma invenção do adulto. E o passado, uma invenção do presente. Por isso é tão bonito sempre, ainda quando foi uma lástima... A memória vai tudo colorindo.”
- Mario Quintana, do livro "Caderno H", Editora Globo - Porto Alegre, 1973.

Foto: Mario Quintana, por Liane Neves
___
* Poemas de Quintana: 
http://www.elfikurten.com.br/2012/04/mario-quintana-escrita-da-vida-do.html

** Conheça a vida e obra em: 
http://www.elfikurten.com.br/2011/01/mario-quintana-o-poeta-das-coisas.htm
“Mas a infância, ó poetas, não é mesmo azul?
Quanto a mim, eu venho há muito desconfiando de que a infância é uma invenção do adulto. E o passado, uma invenção do presente. Por isso é tão bonito sempre, ainda quando foi uma lástima... A memória vai tudo colorindo.”
 
 
 
- Mario Quintana, do livro "Caderno H"