18 de fevereiro de 2013


Sequestrarei teus labirintos
antes que o medo
esconda teus frutos;

antes que te acossem
os corvos,
serei hóspede
dos teus gomos
acesos.

E serei marisco em teus mares
convulsos;
e serei a pérgula
onde os pássaros anunciarão
teus jardins;

e ainda a brisa que rosna
as palavras intraduzíveis.

Mesmo que seja preciso
inventar
uma outra forma
de tempo.

Pérgula- Salgado Maranhão