2 de dezembro de 2012


Nem sempre a solidão evidencia,
obrigatoriamente, uma tortura em silêncio,
pode ser apenas um momento
singular e tranquilo de discernimento.


Néia Lambert