21 de novembro de 2012

 
Nunca foi tão difícil se voltar para dentro de si. O excesso de informações e distrações nos afastam cada vez mais de nós mesmos. Quantas e quantas vezes nos surpreendemos em demoradas buscas por respostas que seriam facilmente encontradas caso olhássemos para dentro de nós mesmos?

Estamos cada vez mais distantes, com nossas atenções voltadas para os mais variados processos externos, nos deixando levar pelo embotamento da nossa percepção quanto aos processos internos.  E muitas vezes nos surpreendemos tristes sem nem ao menos conhecermos os motivos para tal mudança de humor, reconhecendo apenas os efeitos e não as causas.
A causa disto é um outro fenômeno que, com certeza, o caro leitor ja deve ter percebido. Trata-se do gradual encolhimento do tempo. Com a nossa rotina cada vez mais corrida, é comum que o tempo encolha diante de tantas atribuições como trabalho, faculdade, família e etc. As 24h do dia passam num piscar de olhos , e em meio a tantas tarefas acabamos nos esquecendo de um gesto simples, porém essencial para a saúde psíquica; o mergulho para dentro de si mesmo.
Não sou psicóloga e não tenho autoridade para catalogar todos os fatores determinantes para o desenvolvimento das mazelas psíquicas  mas acredito que esta tendência ao esquecimento de si mesmo, seja um fator que contribui muito para o surgimento delas. E quando o falo é por experiência própria mesmo, pois já me vi em diversas situações onde o prolongamento de um problema simples foi causado pelo esquecimento de que a resposta precisaria vir de mim e não de fora.
Creio que a solução para este fenômeno nefasto, seja o simples hábito de reservar alguns momentos para que nos entreguemos as divagações mais profundas do nosso ser. E para tal não se faz necessários grandes sacrifícios, basta apenas que em lugar de vãs preocupações com relação a aspectos que dificilmente podemos alterar, como o atraso de uma pessoa, a possibilidade de chuva, uma decisão tomada e coisas do tipo, reservássemos esse tempo para deixar que os pensamentos naveguem pelos labirintos da mente de forma livre e despretensiosa. Com isso estaremos iniciando um processo de autoconhecimento, que só é possível através da introspecção, possibilitando uma melhor desenvoltura no que tange os questionamentos que só podem ser respondidos por nós mesmos.





Por Jamile Leidiane