22 de novembro de 2012


Há pessoas que nos fazem voar. A gente se encontra com elas e leva um bruta susto. Primeiro, porque o vento começa a soprar dentro da gente, e lá de cantos escondidos de nossas montanhas e florestas internas, aves selvagens começam a bater asas, e a gente não sabia que tais entidades mágicas moravam dentro de nós, e elas nos surpreendem, nós nos descobrimos mais selvagens, mais bonitos, mais leves, com uma vontade incrível subir até as alturas, saltando, saltando de penhascos, pendurados numa asa delta (acho que o nome disto é fé). Outras, ao contrário nos fazem pesados e graves, pés fincados no chão, sem leveza, incapazes de dança. Quanto mais a gente convive com elas, mais pesados ficamos, até que nos transformamos em pedras ou em sepúlcros, incapazes de nos mover.

Rubem Alves