11 de junho de 2011

No início,
eu queria um instante.
A flor.


Depois,
nem a eternidade me bastava.
E desejava a vertigem
do incêndio partilhado.
O fruto.

Agora,
quero apenas
o que havia antes de haver vida.
A semente.


 

Mia Couto