15 de agosto de 2014

 
o teu nome - essa última fala da última
estrela quase a morrer
pouco a pouco embebida no meu próprio sangue
e o meu sangue à procura do teu coração.

 
Fernando Pinto do Amaral