12 de julho de 2014

"Amar a nossa falta mesma de amor, e na secura nossa
amar a água implícita, e o beijo tácito, e a sede infinita"

(Carlos Drummond de Andrade)