27 de maio de 2014



Já ofereci pele, saliva, ânsia, brilho, doçura, filosofia e batimentos cardíacos. Já dei oceanos, sol, estrelas, poemas, canções, primaveras, invernos enroscados e quentinhos com romances embrulhados em papel luminoso. Declarei minhas fraquezas, lerdezas e certezas. Fiz vigília, abracei quarteirões, enchi a cara de vodca, o coração de vento e anexei amor.
Fiz todas as porcarias. Agora é tarde. Demoras me causam calafrios.
Desembarquei em outra ilha. Estou na maioridade sentimental. Agora posso opinar. Agora é tarde.
 
 
Do texto: Saideira
 
Ita Portugal