21 de abril de 2014



Tome-se um poeta não cansado,
Uma nuvem de sonho e uma flor,
Três gotas de tristeza, um tom dourado,
Uma veia sangrando de pavor.
Quando a massa já ferve e se retorce
Deita-se à luz dum corpo de mulher,
Duma pitada de morte se reforce,
Que um amor de poeta assim requer.

 
Saramago , In “Os Poemas Possíveis”