28 de abril de 2014

 
"...Esse teu corpo é um fardo.
É uma grande montanha abafando-te.
Não te deixando sentir o vento livre do infinito.
Quebra o teu corpo em cavernas
Para dentro de ti rugir a força livre do ar.
Destrói mais essa prisão de pedra.
Faze-te recepto.
Âmbito.
Espaço.
Amplia-te.
Sê o grande sopro
Que circula... "

 
Cecília Meireles