24 de abril de 2014



Ai a alma dos poetas
Não as entende ninguém;
São almas de violetas
Que são poetas também.

Andam perdidas na vida,
Como as estrelas no ar;
Sentem o vento gemer
Ouvem as rosas chorar!

Só quem embala no peito
dores amargas e secretas
É que em noites de luar
pode entender os poetas.

 

POETAS- FLORBELA ESPANCA