8 de fevereiro de 2013

(Imagem:. Virginia com John Lehmann em Charleston 1931)Foto: O nó na minha garganta vai diminuindo. Palavras juntam-se, grudam-se, atropelam-se umas por cima das outras. Não importa quais sejam. Empurram-se e trepam uma nos ombros das outras. As isoladas, as solitárias acasalam-se, cambaleiam, multiplicam-se. Não importa o que digo. Como um pássaro a esvoaçar, uma frase cruza o espaço vazio entre nós. Pousa nos lábios dele.

Virginia Woolf, As Ondas, tradução de Lya Luft. Nova Fronteira. p. 78

Visite: http://livroecafe.com

(Imagem: Virginia with John Lehmann at Charleston 1931.)
O nó na minha garganta vai diminuindo. Palavras juntam-se, grudam-se, atropelam-se umas por cima das outras. Não importa quais sejam. Empurram-se e trepam uma nos ombros das outras. As isoladas, as solitárias acasalam-se, cambaleiam, multiplicam-se. Não importa o que digo. Como um pássaro a esvoaçar, uma frase cruza o espaço vazio entre nós. Pousa nos lábios dele.

 
 
Virginia Woolf, As Ondas, tradução de Lya Luft