24 de janeiro de 2013

Foto: Admiro, e sempre admirei a ingenuidade que exala dos olhos de algumas pessoas ao olhar a vida. É tudo tão terno, tudo tão doce. Admiro o poder de algumas pessoas de tornar a vida uma aventura, sem medo. Mas o mais difícil é guardar essa ternura ao olhar o mundo, sem um prazo de validade final. Isso sim é difícil. Porque você cai, você se levanta e cai de novo. Você vai perdendo o gosto por tudo o que deveria ser bom, vai apenas… perdendo o gosto, e não acha mais graça onde deveria. Vai ganhando dores e novas cicatrizes, porque enquanto o mundo é par você é ímpar !
Admiro, e sempre admirei a ingenuidade que exala dos olhos de algumas pessoas ao olhar a vida. É tudo tão terno, tudo tão doce. Admiro o poder de algumas pessoas de tornar a vida uma aventura, sem medo. Mas o mais difícil é guardar essa ternura ao olhar o mundo, sem um prazo de validade final. Isso sim é difícil. Porque você cai, você se levanta e cai de novo. Você vai perdendo o gosto por tudo o que deveria ser bom, vai apenas… perdendo o gosto, e não acha mais graça onde deveria. Vai ganhando dores e novas cicatrizes, porque enquanto o mundo é par você é ímpar !
 
 
Selma Del Bosco