18 de setembro de 2012


"Gentileza é quando não pensamos se é patético ou não. Gentileza não é algo obrigado. É espontâneo como procurar a luz no inverno. Não pensamos em recompensa ou retribuição. Tudo que é feito com dedicação. Inclusive gestos simples como dobrar a roupa de quem amamos ou recolher os chinelos ao redor dos móveis. Eu amo colocar o colar em minha mulher. Lentamente, deixar que o colar se aquiete nos seus seios. Ou somente começar a comer quando ela começa. Não é um hábito, é uma necessidade. A cena mais comovente de gentileza foi protagonizada por um casal de vizinhos. No meio do vaivém de uma segunda-feira, no centro da cidade, ele se ajoelhou no meio da calçada para amarrar os sapatos dela. Ela não pediu, sequer fez alguma menção com o rosto. Discretamente, amarrou o buquê de seus cadarços. Em seguida, a mulher soltou os cabelos para poder voar melhor de mãos dadas com seu marido."


 — Fabrício Carpinejar.