12 de fevereiro de 2012

Há quem da vida
procure apenas retas e brandos ventos,
portos serenos, mananciais de sorrisos.

Eu não.

Gosto é das ondas
que (des)afiam pedras
e fazem tombar navios.

São elas que incitam
o mergulho (preciso);

são elas que emprestam sal
a pele, alma e língua.



-Filipe Couto