12 de novembro de 2011


“Fossemos infinitos, tudo mudaria... Como somos finitos muito permanece.”

(Bertold Brechet)