28 de agosto de 2011


Do rio que tudo arrasta se diz que é violento
Mas ninguém diz
violentas as margens que o comprimem.



Bertold Brecht