27 de agosto de 2011


Da velhice sempre invejei o adormecer no meio da conversa

Esse descer de pálpebras não é nem idade nem cansaço

Fazer da palavra um embalo

É o mais puro e apurado senso da poesia

 

Mia Couto