9 de julho de 2011


Olha amor meu, não "tô" só.

Tenho as flores que plantastes.

São ternuras que deixastes

dentro do meu coração...

 


L.Gonzaga