11 de julho de 2011


Dizem que a gente tem o que precisa.
Não o que a gente quer. Tudo bem.
Eu não preciso de muito. Eu não quero muito.
Eu quero mais. Mais paz. Mais saúde. Mais dinheiro.
Mais poesia. Mais verdade. Mais harmonia. Mais noites bem dormidas.
Mais noites em claro. Mais eu. Mais você. Mais sorrisos, beijos e aquela rima
grudada na boca. Eu quero nós. Mais nós. Grudados. Enrolados. Amarrados. Jogados
no tapete da sala. Nós que não atam nem desatam. Eu quero pouco e quero mais.
Quero você. Quero eu. Quero domingos de manhã. Quero cama desarrumada,
lençol, café e travesseiro. Quero seu beijo. Quero seu cheiro.
Quero aquele olhar que não cansa, o desejo que escorre
pela boca e o minuto no segundo seguinte:
nada é muito quando é demais




caio fernando abreu